sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Monopólio, um ódio de estimação - texto por Micael Sousa

Aqui vai o primeiro texto de opinião mais pessoal aqui no blogue. Nem só de reviews vive este espaço, por isso aqui vai o primeiro do género.

Este será uma espécie de artigo de ódio a um jogo, tanto que nem me deu vontade de o analisar segundo os critérios que definimos para os restantes jogos. Se este passatempo dos jogos de tabuleiro é uma atividade de paixão, até nem será muito estranho gerar-se um ou outro ódio de estimação.

Antigamente, quando comecei a jogar este tipo de coisas, que acabei por conhecer através do Magic: The Gathering, o jogo Monopólio não me incomodava muito. Comecei por jogar Setlers of Catan, mas depois via luz quando conheci todos os outros jogos. Ao olhar para trás, o velhinho Monopólio parece grotesco, um empecilho e estorvo para divulgar este hobbie a novatos.
 
Razões para o fim de um jogo de Monopólio
 

Quando digo a alguém que gosto de jogos de tabuleiro a resposta que obtenho é quase sempre a mesma:
- Também gostava de jogar Monopólio.

É de ficar irado! Primeiro porque o tempo verbal é passado, ou seja, jogavam quando eram crianças, dizendo indiretamente que isso não é ocupação de adultos.
Menos mau quando referem o Trivial Pursuit ou Pictionary. Melhor ainda quando dizem Xadrez.

O Monopólio parece ser ainda em Portugal um verdadeiro monopólio de significado.

Esqueçam o Monopólio!!! Joguem um Catan pelo menos. Há à venda em qualquer loja do género e em grandes superfícies. É meio caminho andado para descobrir posteriormente a beleza, originalidade, potencialidades dos jogos de tabuleiro mais recentes, como podem fomentar a sociabilização entre famílias e amigos, por vezes até entre desconhecidos.

O Monopólio é um péssimo exemplo para dar a alguém como jogo de tabuleiro pois passa uma mensagem negativa forte:
 • Devem andar às voltas na vida, confiando na vossa sorte sem qualquer controlo e responsabilidade nos vossos movimentos;
 • Podem apenas decidir se compram ou não, se perdem dinheiro; nada podem fazer para gerar dinheiro para além de dependerem da sorte ou da má sorte alheia;
 • Um jogo demora imenso, em repetição sem fim de tédio e sem exercitar ou aprender nada de especial;
 • Não é especialmente divertido, pois a aleatoriedade ainda vos tornará mais gananciosos enquanto esperam que o dinheiro pingue ou façam negociações igualmente ditadas velos ventos da fortuna;
 • Ninguém sabe bem as regras e joga segundo o livro dado que o jogo é tão mau que obriga a mudanças para ser mais agradável.
 
Joguei muito monopólio quando era miúdo. Só lamento não conhecer e haver outros jogos na altura. Agora não há desculpa, a escolha e oferta começa a existir!

Abaixo os monopólios!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...